Comida criativa: 13 ideias para seu filho experimentar

Aumentar o repertório alimentar da minha filha Manuela sempre esteve entre as minhas preocupações, mesmo para uma mãe que antigamente não sabia cozinhar nada, nada mesmo. E a comida criativa e divertida também me ajudou muito!

Separei pra você 13 ideias de comida criativa com frutas, legumes e verduras criadas por mim para o projeto Criando AMORas, o projeto do blog Mamãe Prática que ajuda as famílias a ampliarem o repertório alimentar dos seus filhos.

1. Comida criativa de borboleta (salgada)
Utilizei pimentão amarelo, arroz cozido, tomate grape, partes da salsinha (olhos e “anteninha”) e damasco (boca). Não achei que ficou tão bonito assim, mas o que vale é a intenção. Não precisa ser perfeito, o importante é a criança experimentar.

Comida criativa de borboleta

2. Comida criativa de borboleta (frutas)
Já essa borboleta de frutas foi feita com manga, uva e maçã. Usei cortadores de coração para as asas e cortadores redondos para o miolo da flor.

Comida criativa de borboleta com frutas

3. Comida criativa de coelho amarelinho
Essa fofura foi feita com arroz amarelinho (com açafrão), beterraba, ovo, tomate, pimentão vermelho e pimentão amarelo, além de pepino, cenoura assada e cenoura crua.

Comida criativa de coelho

4. Comida criativa de centopeia
Essa centopeia foi passear em um lindo dia de sol! Usei batata doce assada no forno, pepino, alface, azeitona, cenoura e tomate.

comida criativa de centopeia

5. Comida criativa de flor (panqueca rosa)
Essa flor é muito simples de fazer. Usei cenoura, panqueca de beterraba (com cortador de coração), cebolinha, folhas de hortelã e espinafre refogado.

6. Comida criativa de flor (batata)
Adoro fazer flores por serem simples e super-rápidas de fazer, além de possibilitar trazer ingredientes como nessa flor: batata doce (assada no forno), tomate cereja, vagem (cozida) e rúcula. A variação de alimentos e sabores nesse tipo de composição é muito grande.

7. Comida criativa de gato
Aqui misturei abacaxi, melão, melancia, uva e uva passa com tomate grape, pepino japonês e couve-manteiga. Você também pode usar cenoura cortada em tiras bem fininhas no lugar da couve-manteiga, por exemplo. Pra fazer o focinho de melancia, usei um cortador redondo.

Comida criativa de gato

8. Comida criativa de leão
Para fazer esse leão, usei mexerica, abacaxi, banana, cenoura, azeitona e couve-manteiga. Outra ideia é usar uva passa quando for fazer os olhos (no lugar da azeitona) e cebolinha, daquela mais fininha, no lugar da couve-manteiga.

Comida criativa de leão

9. Comida criativa de palhaço 
Cara de palhaço feita com panqueca, cenoura ralada, beterraba, ovo, azeitona, pinhão e panqueca rosa. Também usei caneta alimentícia.

10. Comida criativa de peixinho 
Simpático peixinho feito de panqueca, ovo, tomate, beterraba e azeitona. Com pinhão, tomate e panqueca rosa para enfeitar.

Comida criativa peixinho

12. Comida criativa de porquinho (panqueca rosa)
Ele é a atração do nosso workshop para público adulto. Usei panqueca rosa (com beterraba), cenoura, tomate, espinafre e uva passa.

Comida criativa de porquinho

13. Comida criativa de sapo (panqueca verde)
Usei panqueca verde (de couve-manteiga), cenoura, pepinos (caipira e japonês), azeitona, panqueca tradicional (para montar a coroa que fiz com cortador), tomate cereja e repolho roxo (para o sorriso lindo desse sapinho feliz). PS: Ele faz MUITO sucesso com as crianças nas nossas oficinas infantis.

Comida Criativa no formato de sapo

E aí? Ficou animo(a) pra colocar a mão na massa e fazer seu pratinho criativo?

PS: Em breve vou lançar um curso online sobre conexão mãe e filho por meio da alimentação, no qual também vou ensinar e falar mais sobre as comidas criativas. Se tiver interesse em participar da primeira turma, fale comigo por wthasApp (11) 97081-8696 ou por e-mail: contato@criandoamoras.com.br

Mariana Branco, idealizadora do Criando AMORas

Por Mariana Branco, jornalista, editora do blog Mamãe Prática e idealizadora do Criando AMORas – Conexão Mãe e Filho Por Meio da Alimentação. 

Se você gostou desse texto, receba meus artigos em primeira mão, assim como meu eBook gratuito MEU FILHO NÃO COME – 3 Revelações Para Seu Filho Comer Melhor Que Estão Dentro de Você. CADASTRE-SE AQUI!

Quando começar a levar seu filho pequeno pra cozinha

Criança na cozinhaCriança na cozinha. Pode?

“Qual a idade ideal para levar os filhos para cozinha? Você coloca sua menina em pé na cadeira?”

“Meu filho só tem 1 aninho, quando será que posso começar?”

Quando o assunto é criança na cozinha, antes de mais nada, a segurança provavelmente é o ponto central quando a mãe fica em dúvida de levar ou não seu filho pra cozinha. E elas estão certas (veja, ao final, as orientações SUPER IMPORTANTES da Ong Criança Segurança).

Mas quando começar a levar seus filhos pra cozinha?

Desde que você esteja muito atenta às regras de segurança, o quanto antes, melhor. Mas isso precisa ser feito com amor, carinho e sem cara de obrigação. Precisa ser natural.

Eu fiz isso de forma bem natural e provavelmente minha filhota tinha em torno de 2 anos. Nessa época, ela não ficava perto do fogão e nem em cima de um banquinho. Eu pegava a cadeira da sala de jantar (que é bem grande e espaçosa) e levava para perto da bancada da cozinha, bem longe do fogão. Então, dá pra ser criativa pra levar seu filho pequeno pra cozinha.

Criança na cozinha é possível e é também uma forma importante de se conectar com seu filho por meio da alimentação.

12 dicas simples pra começar a levar seu filho pequeno pra cozinha:

  1. Envolva-o no preparo de alguns alimentos. Não precisa chamá-lo pra fazer a receita toda! Ele não precisa participar de todo o processo
  2. Já pique o que precisa ser picado e aí então chame seu filho pra fazer outros processos simples, como lavar os alimentos ou temperá-los.
  3. Chame seu pequeno para brincar de colocar os legumes na assadeira. E a brincadeira é só colocar um do lado do outro, não pode colocar um em cima do outro.
  4. Deixe seu filho colocar a mão nos potes de arroz e de feijão (deixe afundar a mão para sentir as texturas).
  5. Chame seu filho para mexer alguma coisa com colher de pau, como massas mais líquidas ou molhos. Geralmente, pra eles isso é diferente e uma grande diversão.
  6. Ensine seu filho a quebrar os ovos e então deixe que ele bata os ovos com o garfo. (A minha pequena aprendeu por volta dos 3 anos e, sim, perdemos muitos ovos).
  7. Diga pro seu filho colocar uma pitada de sal e então uma pitadinha de amor. Inventem juntos como é o “sinal” da pitadinha de amor (aqui em casa a gente dá um beijinho nos dedos juntinhos e joga a pitadinha de amor).
  8. Procure seguir as orientações da ong Criança Segura (veja abaixo).
  9. Você pode ou levar alguns ingredientes pra fazer na mesa de jantar (bem longe do fogão e onde a criança fica mais segura numa cadeira/poltrona) ou então levar uma cadeirinha pra cozinha (eu prefiro cadeirinhas, pois geralmente os banquinhos são mais “bambos”, então, vai de você analisar o que tem mais seguro em casa).
  10. Se você tiver dois filhos ou mais, fale que cada um tem uma tarefa especial (um vai quebrar os ovos e o outro vai batê-los, por exemplo). E da próxima vez, as tarefas podem se inverter. Ensine também que cada um tem a sua vez e precisa esperar.
  11. Chame seu filho pra fazer panquecas! Neste caso, ele vai fazer apenas a massa e só você irá fritá-las. Separe todos os ingredientes em potinhos/xícaras. Deixe tudo pronto e aí sim chame seu filho pra ir acrescentando os ingredientes um a um em uma tigela ou outro recipiente grande. Se você tiver mais de um filho, cada um ficará responsável por colocar um ingrediente na tigela. Depois deixe as crianças mexerem um pouco. Além disso, você também pode bater a massa no liquidificador para ficar mais homogênea.
  12. Deixe seu filho se sujar (e ele vai se sujar). Coloque nesse momento um avental de criança ou uma camiseta mais velha, por exemplo. Criança na cozinha também pode ter um pouco de bagunça.

As dicas de segurança da ong Criança Segura:

  • Use as bocas de trás do fogão e certifique-se de que os cabos das panelas estejam virados para dentro para não serem alcançados pelas crianças;
  • Mantenha sacos plásticos, fósforos, isqueiros, álcool, objetos de vidro, cerâmica e facas fora do alcance das crianças;
  • Evite cuidar, ficar perto ou carregar as crianças no colo enquanto mexe em panelas no fogão ou manipula líquidos quentes. Até um simples cafezinho pode provocar graves queimaduras na pele de um bebê;
  • Não use toalhas compridas ou jogos americanos na mesa de jantar. As crianças podem puxá-los para se apoiar e, se houver algo em cima deles, como líquidos e alimentos quentes, isso pode cair em cima dos pequenos causando escaldadura ou queimadura de contato;
  • Deixe comidas e líquidos quentes no centro da mesa, longe do alcance das crianças.

Por Mariana Branco, jornalista, editora do blog Mamãe Prática e idealizadora do Criando AMORas – Conexão Mãe e Filho Por Meio da Alimentação. Na foto, eu e minha pequena 🙂 

Se você gostou desse texto, receba meus artigos em primeira mão, assim como meu eBook gratuito MEU FILHO NÃO COME – 3 Revelações Para Seu Filho Comer Melhor Que Estão Dentro de Você. CADASTRE-SE AQUI!

5 razões pra fazer uma horta com seu filho

5 razões pra fazer uma horta com seu filho

Por que fazer uma horta com seu filho? Aí na foto sou eu e a minha filha na antiga horta que tínhamos quando morávamos em Curitiba (que saudades!).

Mas não importa se você vai começar apenas com uma simples mudinha de hortaliça em um vaso pequeno ou já com um canteiro grande, caso tenha espaço em casa. Aqui vão algumas razões muitos simples pra você pensar se, vale a pena ou não, no seu caso, começar a pensar em fazer uma hortinha com seu filho.

5 razões para fazer uma horta com seu filho

1. Você vai criar boas memórias
Além da sua casa ficar mais cheirosa (já sentiu o cheiro de hortelã, manjericão ou orégano frescos?), o mais importante é estimular toda a família a criar o hábito de cheirar estas plantinhas lindas e aromáticas. Quando você cheira uma hortaliça, você cria memórias e ainda aguça o paladar. Sabe quando você sente um cheiro que te remete a uma lembrança de infância? É isso que queremos criar … Por isso, antes de experimentar, que tal incentivar seu filho a cheirar?

2. Ele vai aprender sobre responsabilidade
Sabe aquela história de que é bom primeiro aprender a cuidar de uma planta, depois de um cachorro e só aí tentar ter um filho? Brincadeiras à parte, quando a criança cuida de uma plantinha, ela também aprende sobre a responsabilidade de cuidar de outro ser vivo, que precisa de água, nutrição de tempos e tempos e, por que não?, muito carinho também.

3. Ele vai se sentir importante
Você pode fazer desse momento, ou seja, da hora de plantar, um momento especial entre vocês dois, longe da televisão, do tablet e do celular. Deixe que ele escolha qual hortaliça plantar e a cor do vaso, por exemplo.

4. Vocês vão se sujar
Mostre que é bacana essa brincadeira de se sujar e colocar a mão na terra. Quanto mais seu filho estiver próximo da natureza, melhor para que crie o hábito de experimentar novos alimentos. Ao aproximar seu filho dos alimentos que vêm da terra, sentindo-os, tocando-os, maior a chance dele ficar curioso sobre os alimentos. Deixe que se suje. Se ele estranhar ou achar “nojento” mexer na terra, não tem problema, apenas mostre que é bacana se sujar e sentir a textura da terra, aos poucos ele vai se acostumar.

5. Vocês terão hortaliças fresquinhas todos os dias
Com uma hortinha em casa, você terá mais um incentivo para preparar as refeições. Você não vai precisar ficar comprando cheiro verde toda semana (uma economia) e, além do mais, salsinha e cebolinha frescas e sem agrotóxicos, por exemplo, podem deixar a sua comida ainda mais saborosa. Não tem o costume de usá-las? Dê uma chance às hortaliças, experimente.

Desejo que estas dicas sejam úteis pra você. O que achou? Deixe seus comentários aqui no post.

“Ao aproximar seu filho dos alimentos que vêm da terra, sentindo-os, tocando-os, maior a chance dele ficar curioso sobre os alimentos”

Mariana Branco, idealizadora do Criando AMORasPor Mariana Branco, jornalista, editora do blog Mamãe Prática e idealizadora do Criando AMORas – Conexão Mãe e Filho Por Meio da Alimentação. Na foto, eu e minha pequena 🙂 

Se você gostou desse texto, receba meus artigos em primeira mão, assim como meu eBook gratuito MEU FILHO NÃO COME – 3 Revelações Para Seu Filho Comer Melhor Que Estão Dentro de Você. CADASTRE-SE AQUI!